Com o tema ‘Democracia em Cena’, 14º Festival de Cinema Europeu será realizado no Teatro Gebes Medeiros

Foto: Divulgação/SEC

Mostra conta com participação de 17 países e terá entrada gratuita

A partir da próxima segunda-feira (11/06), às 18h30, será realizada a 14ª edição do Festival de Cinema Europeu, no Teatro Gebes Medeiros, localizado na Avenida Eduardo Ribeiro, no Centro de Manaus. Com tema “Democracia em Cena”, a mostra tem participação de 17 países, com filmes ficcionais e documentais, e percorre 11 capitais brasileiras neste ano. Com apoio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), o evento, que vai até o dia 22 de junho, terá entrada gratuita.

De acordo com a organização do evento, a mostra coloca em foco o regime político contemporâneo adotado por grande parte dos países ocidentais e traz obras que abordam memórias relevantes para a Europa.

A seleção apresenta títulos premiados em diversos festivais internacionais, como o filme espanhol “23F”, que conta a tentativa fracassada de golpe de Estado, encabeçado por militares em 1981. O golpe começou com a apreensão do Congresso dos Deputados e terminou com a libertação dos parlamentares. A obra, primeira a ser exibida no festival na segunda-feira, sob direção de Chema de la Penã, foi indicada para o prêmio Goya em 2011 e escolhida pela curadoria para abrir oficialmente a mostra em todas as cidades.

Outra obra selecionada, o filme alemão “Se não nós, quem?”, ganhou prêmios em festivais populares no país europeu, incluindo uma indicação para o Urso de Ouro no 61º Festival de Berlim. O drama dirigido por Andres Veiel traz a história de um casal, Bernward Vesper e Gudrun Ensslin, os dois filhos de pais com papéis importantes no governo Hitler, que se unem para abrir uma editora e darem continuidade a um trabalho iniciado pelo pai de Bernward, um famoso escritor nazista. A obra será a segunda a ser exibida em Manaus, na terça-feira (12/06).

Em plena ascensão do fascismo em Portugal, Manoel Teixeira Gomes, escritor de literatura erótica e na época presidente, abandona Lisboa para viver em exílio no norte da África. O drama “Zeus”, dirigido por Paulo Filipe Monteiro e que será exibido no dia 16 de junho, conta a história real do sétimo presidente português e as razões que o fizeram abandonar o cargo após 26 meses de sua posse. A obra ganhou o prêmio de melhor ator no Festival de Cinema de Bombaim (2016), na Índia.

De acordo com a curadora do festival, Tayná Haufiquet, as obras narram diversos aspectos sobre o tema e propõem velhas e novas discussões. “Conhecer o passado e pensar sobre ele, permite uma maior compreensão do presente e ajuda a refletir sobre as possibilidades de futuro. Em tempos de crises políticas tão significativas no mundo é importante relembrar, observar e debater tal assunto”, destaca a curadora.

Os filmes serão exibidos de segunda a sexta, às 18h30, e aos sábados e domingos, às 16h.

14FESTIVAL DE CINEMA EUROPEU 2018

11 a 22 de junho  – Teatro Gebes Medeiros

 

SEGUNDA-FEIRA (11/06) – 18h30

23-F. O Filme – Espanha, 2011 – Drama/História – 105 min.

Direção: Chema de la Peña

Elenco: Paco Tous, Juan Diego, Fernando Cayo

Classificação: 12 anos

SINOPSE

O fracassado golpe de estado de 23 de fevereiro de 1981, que começou com a apreensão do Congresso dos Deputados e terminou com a libertação dos parlamentares, colocou a democracia espanhola em grande risco. Enquanto Tejero e seus homens mantinham os deputados como reféns, o Rei, de seu escritório, tentou conter o exército e organizar as forças civis. No meio, um quadro complexo onde Milans e Armada moviam as cordas. Na parte de trás do palco, a Espanha vivia no rádio e na televisão. “23F” é a história de três golpes: o de Milans, o de Armada e o de Tejero. O golpe falha quando Tejero começa a entender que foi usado.

Prêmios:

  • Indicado ao Goya 2011 por Melhor Ator Coadjuvante

 

TERÇA-FEIRA (12/06) – 18h30

Se não nós, quem? – Alemanha, 2011 – Drama/Biografia – 124 min.

Direção: Andres Veiel

Elenco: August Diehl, Lena Lauzemis, Alexander Fehling

CIassificação: 12 anos

SINOPSE

No início dos anos 60, em meio à atmosfera da Alemanha Oriental, Bernward Vesper (August Diehl) conhece e se apaixona pela colega de universidade Gudrun Ensslin (Lena Lauzemis). Filhos de pais com papeis importantes no governo Hitler, o casal, ativista político, abre uma pequena editora, causando polêmica logo no primeiro trabalho, quando Bernward dá continuidade a algo começado pelo pai, Will Vesper, autor famoso cuja obra foi usada pelo nazismo. Contrários ao conformismo da sociedade alemã, os jovens unem forças com escritores e demais ativistas, fazendo parte do movimento que tomou proporções globais: “Se não nós, quem, se não agora, quando?”

Prêmios:

  • Indicado para o Urso de Ouro no 61º Festival Internacional de Berlim
  • Andres Veiel (diretor): Prêmio Alfred Bauer- Festival Internacional de Berlim
  • Prêmio de Cinema Alemão de Melhor Ator-August Diehl-2011
  • Prêmio de Cinema Alemão de Melhor Design de Produção: Christian M. Goldbeck-2011
  • Prêmio de Cinema Alemão de Melhor Edição: Hansjörg Weißbrich
  • Prêmio de Cinema Alemão de Melhor Atriz: Lena Lauzemis-2011

 

QUARTA-FEIRA (13/06) – 18h30

A máfia mata só no verão – Itália, 2013 – Comédia/Drama – 85 min

Direção: Pif (Pierfrancesco Diliberto)

Elenco: Cristiana Capotondi, Pif, Alex Bisconti

CIassificação: Livre

SINOPSE

Ambientado na Sicília contemporânea, o filme é o conto tragicômico da vida de Arturo, que desde jovem cruza o caminho da máfia. Ele é uma criança particularmente sensível às peculiaridades que ocorrem diariamente na sua cidade e sofre o mesmo destino de todos os jovens jornalistas e ativistas que enfrentaram a verdade de frente e que muitas vezes tornam-se vítimas da máfia. A partir da vida pessoal do protagonista e de sua banal historieta de amor, o filme visa mostrar a organização criminosa não apenas como uma entidade marginal da sociedade do sul da Itália, mas como um organismo que infiltra-se em todos os aspectos da vida dos habitantes desta região e na cultura coletiva.

Prêmios:

  • Festival de Cinema de Turim: Prémio do Público – 2013
  • 2 Prêmios David di Donatello: Melhor realização; Prêmio David Jovem – 2013
  • 2013, 2 Nastro d’Argento: Melhor novo realizador; Melhor argumento – 2013
  • Globo de Ouro: Melhor argumento – 2014
  • Ciak de Ouro: Ciak de Ouro Alice/Jovem – 2014
  • Festival Internacional de Cinema de Bari: Prémio Francesco Laudadio de melhor primeiro filme   – 2014
  • Trailers FilmFest: Prémio do Público de melhor trailer do ciclo de cinema – 2014
  • Cidade de Misilmeri: Prémio Rocco Chinnici – 2014
  • 2 Prêmios Festival de Cinema de Busto Arsizio: Prémio do Público; Melhor argumento – 2014
  • 2 Prêmios Festival Bimbi Belli: Melhor filme; Melhor debate – 2014
  • 27.º Prêmios do Cinema Europeu: Melhor filme de comédia – 2014
  • Festival do Cinema Italiano de Annecy: Grande Prémio Fictício – 2014
  • Festa do Cinema Italiano: Prémio do Júri de melhor filme – 2014

 

QUINTA-FEIRA (14/06) – 18h30

Sangue nas Águas – Hungria, 2006 – Drama/Guerra/Histórico/Romance – 123 min.

Direção: Krisztina Goda

Elenco: Iván Fenyő, Dobó Kata, Csányi Sándor

CIassificação: 16 anos

SINOPSE

Uma nação cujo sonho de liberdade foi devastado, encontra seu rival em um campo de batalha diferente neste filme inspirado em uma história real. Sangue nas Águas celebra a heroica Revolução Húngara de 1956 que se passa em Budapeste e nos Jogos Olímpicos de Melbourne em outubro e novembro desse ano. Enquanto tanques soviéticos arrasavam seu país a equipe húngara de polo aquático vencia os soviéticos na disputa de polo aquático mais violenta da história.

SEXTA-FEIRA (15/06) – 18h30

O Atirador – Dinamarca, 2013 – Thriller político – 89 min.

Direção: Annette K. Olesen

Elenco: Trine Dyrholm, Kim Bodnia, Kristian Halken

CIassificação: Livre

SINOPSE

”O atirador” é um filme de viés político no qual Copenhague se encontra sitiada por um atirador inteligente e determinado. No drama, o novo governo dinamarquês, contrariamente às suas promessas eleitorais, anuncia extração de petróleo na Groenlândia. Isso gera uma violenta reação pública frente aos novos planos que prejudicam o meio-ambiente. O pesadelo da democracia se transforma em uma realidade assustadora – e agora um atirador está em liberdade nas ruas de Copenhague.

Prêmios:

  • Indicado ao Robert Festival 2014 de Melhor Drama e Efeitos Especiais

 

SÁBADO (16/06) – 16h

Vox Populi – Países Baixos, 2008 – Comédia/Sátira política –100 min.

Direção: Eddy Terstall

Elenco: Tom Jansen, Johnny de Mol, Esmarel Gasman

CIassificação: 12 anos

SINOPSE

Jos Fransen é um político veterano que enfrenta uma crise de meia-idade. Ele é o líder do partido de esquerda Rood-Groen, mas ultimamente o partido não está indo bem nas pesquisas. Sua filha Zoë começa a namorar com o policial militar Sjef. O pai de Sjef, Nico, é um autêntico vendedor de carros de Amsterdam que odeia políticos. Através dos olhos de Sjef e Nico, Jos está começando a perceber como “as pessoas” enxergam a política. Inspirado por Sjef, Nico e Savo (o cunhado iugoslavo de Sjef), Jos Fransen começa a incluir ideias mais populistas no seu, anteriormente, partido politicamente correto e começa a subir nas pesquisas de opinião. Isso é tudo para aborrecimento de seus colegas elitistas do partido.

Prêmios:

  • Gouden Kalf para Melhor Ator Coadjuvante

SÁBADO (16/06) – 18h

Zeus – Portugal, 2016 – Biografia – 115 min.

Direção: Paulo Filipe Monteiro

Elenco: Sinde Filipe, Idir Benebouiche, Amel Malhan Hanifi

CIassificação: 12 anos

SINOPSE

Esta é a história real de Manuel Teixeira Gomes. Um escritor de ótima literatura erótica que é eleito Presidente da República – caso único no mundo. Promove políticas reformistas, apoia os operários, combate a banca. Mas, ao fim de 26 meses diz: basta. Estou farto. Qual é o primeiro barco a sair de Lisboa? Não é daqui a um mês, é já. Zeus? É um cargueiro? Não me importa, hão-de levar-me. Não me interessa para onde vão. Parto sem um papel, nada que me lembre a minha vida de escritor ou de Presidente. E assim, aos 65 anos, muda de vida. Vai para o Norte de África, convive com os nômades do deserto, instala-se na Argélia, aí morre 15 anos depois. A sua vida deu um filme: um hino à vida, à liberdade, à coragem, ao sensualismo e à amizade.

Prêmios:

  • Autores Awards (Portugal) por Melhor Ator e Roteiro
  • Caminhos do Cinema Português – Prémio Melhor Ator (Sinde Filipe); Melhor Ator Secundário (Miguel Cunha); Melhor Caracterização (Sara Menitra); Melhor Guarda-Roupa (Sílvia Grabowski)
  • Festival de Cinema de Bombaim (Índia) – Prémio Melhor Ator (Sinde Filipe)
     

 

SEGUNDA-FEIRA (18/06) – 18h30

A universidade perdida, Vincennes – França, 2016 – Documentário – 95 min.

Direção: Virginie Linhart

Elenco: Noam Chomsky, Gilles Châtelet, Hélène Cixous

CIassificação: 16 anos

SINOPSE

Aberta a todos, a universidade de Vincennes, criada no outono de 1968 e destruída em 1980, encarnava a possibilidade de outro sistema de ensino. Entre nostalgia e reflexão, este documentário homenageia uma historia esquecida. Na floresta de Vincennes, antigamente, existia uma universidade revolucionária. Maio de 1968 deixou seu legado e durante doze anos, Vincennes cresceu, se agitou, incomodou, atraindo os melhores professores do país: Michel Foucault, Gilles Deleuze, Hélène Cixous, ou ainda Jacques Rancière.

A floresta que pensa » se torna um lugar de referência misturando militância e aprendizagem. As lutas são cotidianas. Mas este caos alegre se encontra enfraquecido por histórias de drogas, pretexto ideal para destruir os prédios de Vincennes no verão de 1980. Então, o que sobra destes doze anos efervescentes?

TERÇA-FEIRA (19/06) – 18h30

A história da linha verde – Chipre, 2017 – Drama – 113 min.

Direção: Panikus Chrissanthou

Elenco: Mihalis Sofokleous, Cihan Tariman, Matthias Lier

CIassificação: 16 anos

SINOPSE

Uma história na “linha verde” de Nicósia, onde um muro de barricadas e arame farpado divide uma cidade e um país. Após a guerra, vizinhos que viviam em harmonia se tornaram inimigos. Um soldado cipriota grego e um soldado cipriota turco guardam seus postos em lados opostos da linha e fazem um acordo para visitar suas antigas vilas. Uma jornada perigosa com motivos secretos, mas que prova que muros não podem dividir amizades verdadeiras.

QUARTA-FEIRA (20/06) – 18h30

Palme – Suécia, 2012 – Documentário – 105 min.

Direção: Maud Nycander e Kristina Lindström

Elenco: Olof Palme, Catharina Palme, Lisbet Palme

Classificação: Livre

SINOPSE

Em 1986, o Primeiro Ministro da Suécia, Olof Palme, foi baleado abertamente nas ruas de Estocolmo. Naquela noite de fevereiro, a Suécia transformou-se. O filme PALME trata sobre sua vida, tempo e a Suécia que ele criou. É sobre um homem que mudou a história. Durante a sua vida, Palme foi transportado dos enredos da classe alta para tomar o seu lugar entre os democratas socialistas. Olof Palme foi um menino do escalão dos privilegiados que acabou criando a sociedade mais igualitária do mundo.

O habilidoso político dirigido pela sua paixão à justiça social. O orador ardente que achava inspiração nos contos infantis de dormir. O democrata persuasivo que incitou os EUA a convocar o seu embaixador de volta para a Suécia. Admirado e odiado além do paralelo. Nem antes nem depois dele houve políticos parecidos. Com Olof Palme, um país tão pequeno como a Suécia afetou a política internacional de alto nível.  O jovem Olof Palme era brilhante, atraía homens e mulheres. Cheio de entusiasmo, ele viajou o mundo inteiro e criou impressões, também influenciando a história. O mundo estava aos seus pés. Possibilidades. Visões. Vontade de transformar. Esse filme sobre Olof Palme é uma viagem no tempo, em imagens e experiências.

Prêmios:

  • Guldbagge Awards de Melhor Edição, Música e indicado a Melhor Documentário

 

 

QUINTA-FEIRA (21/06) – 18h30

O Bockerer IV – Primavera de Praga – Áustria, 2003 – Drama político – 90 min.

Direção: Franz Antel

Elenco: Karl Merkatz, Katharina Stemberger, Marianne Nentwich

Classificação: 12 anos

SINOPSE

O açougueiro Karl Bockerer de Viena, que já foi protagonista em três outros filmes da história da Áustria, vai casar no ano 1968 a sua empregada Anna. ELe é convidado pelo filho adotivo à cidade de Praga, na ex- Republica Tchecoslováquia, para passar a lua de mel. O plano do filho de abrir uma filial do açougue, e a “Primavera de Praga” na época do comunismo causam muitos problemas e confusões para a família Bockerer, e quando as tropas Soviéticas tomam posse do país, a família Bockerer quer voltar com urgência para Viena. Mas primeiro eles têm que tirar o filho da prisão.

Prêmios:

  • Indicado ao Romy Gala (Áustria) de Melhor Ator

 

SEXTA-FEIRA (22/06) – 18h30

Pássaros, órfãos e loucos – Eslováquia, 1969 – Drama – 79 min.

Direção: Juraj Jakubisko

Elenco: Philippe Avron, Jirí Sýkora, Magda Vásáryová

CIassificação: 18 anos

SINOPSE

A parábola mosaica sobre dois rapazes, uma moça e um senhor louco, pessoas que enfrentam um mundo violento, um mundo louco, sem ideais, sem esperança, que relembra fortemente a atmosfera da sociedade na antiga Tchecoslováquia depois de agosto de 1968 (invasão das tropas da União Soviética e outros membros do Pacto de Varsóvia). Juntos, os três amigos, sobrevivem ali somente graças a sua “loucura” – mesmo com os horrores da invasão, os três tentam encarar a realidade de uma forma otimista e fantástica, conduzindo a vida baseada no princípio da brincadeira e da filosofia da alegria.

Prêmios:

  • 1973 – Segundo Prémio ao diretor Juraj Jakubisko no Avoriaz Fantastic Film Festival (França)
  • 2008 – Globo de cristal ao diretor Juraj Jakubisko no Festival Internacional de Cinema de Karlovy Vary (República Tcheca)

Serviço: Abertura do 14º Festival de Cinema Europeu

DataHora: 11 de junho, segunda-feira, 18h30

Local: Teatro Gebes Medeiros (Ideal Clube), Avenida Eduardo Ribeiro, 937, Centro

Entrada: Gratuita