Cultura indígena é destaque das temporadas da SEC nesta terça-feira

O festival acontece entre os dias 16 a 20 de maio de 2018. Foto :Divulgação/SEC

Temporadas Delas e Literária realiza ações em escola e no Museu da Amazônia

A cantora e jornalista Djuena Tikuna é uma das atrações do evento. Foto: Reprodução

As temporadas Literária e Delas, promovidas pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), continuam com programação diversa nesta terça-feira (13/03). Além de oficinas realizadas em escolas, um bate-papo sobre cultura indígena será realizado durante à tarde no Museu da Amazônia (Musa), no Largo de São Sebastião.

A programação inicia às 10h, no Colégio Brasileiro Pedro Silvestre, localizado no Centro, e na escola Adalberto Vale, localizada na Betânia, zona sul da capital. O colégio Brasileiro terá uma oficina de fanzine e a escola Adalberto Vale, uma de poesia. À tarde, por volta das 14h, ainda será realizada uma oficina de fanzine e produção de livro na Adalberto Vale.

Um dos destaques na programação é a mesa sobre literatura e cultura indígena, que acontece a partir das 15h, no Musa, localizado no Largo São Sebastião. O bate-papo terá a participação do escritor indígena Ely Macuxi, que já publicou os livros “Ipaty – Curumim da Selva” e o “Segredo do Mindu”; a cantora e jornalista Djuena Tikuna, além de Cláudia e Maria Baré, todos indígenas.

“A ideia é jogar uma luz sobre os escritores indígenas e a produção recente deles, enfatizando este nicho do mercado. Também queremos falar sobre os indígenas que realizam pesquisas acadêmicas e estão se destacando nas universidades”, diz Macuxi.

Comunicação e artes

Djuena Tikuna vai abordar a prática do jornalismo nas comunidades indígenas e da música como instrumento de comunicação e difusão cultural.

“É importante pautarmos a mídia destacando a importância das nossas culturas, riqueza de nossos territórios e o nosso modo de vida. O jornalismo tem papel importante nesse processo, pois queremos dar voz àqueles que há 518 anos são silenciados”, explica. “A música também é essencial para conscientização da questão indígena, pois é capaz de sensibilizar variados públicos. Toda expressão indígena é uma obra de resistência”, complementa.

Temporadas

Dentro da temporada Literária haverá lançamento de livros, rodas de conversa com escritores, oficinas de fanzines, vivências, feira de troca de livros e mediação de leitura em espaços como galerias e shoppings populares. Um dos destaques da programação é a “Merenda Cultural”, ação que fará intervenções curtas, no intervalo do lanche em dez escolas da capital e da comunidade de Janauari. Todo esse circuito literário vai culminar na Mostra Literária, marcada para o dia 18 de março, no Centro Cultural Usina Chaminé.

Já a temporada ‘Delas’, além das ações casadas com a literária, terá programação em Manaus e no Cacau Pirêra, com debates sobre o protagonismo feminino, valorização da mulher negra, situação da mulher indígena e da mulher trans na sociedade; oficina de empoderamento; dia de beleza para moradoras de rua; marcha das mulheres; e apoio social e jurídico para mulheres em situação de risco.