Músico que participou de CD da Amazonas Jazz Band recebe Grammy Latino

Publicado em: quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Em entrevista ao Portal da Cultura, Mauro Senise fala sobre o sentimento de representar o Brasil em premiações internacionais e sobre sua relação com a cidade de Manaus

Mauro conta que esteve em Manaus a convite do Maestro Rui Carvalho, e que se sentiu privilegiado. Foto: Divulgação

Karla Mendes

No último dia 16 de novembro, os músicos Mauro Senise, Romero Lubambo e Edu Lobo receberam o prêmio de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira, com a obra “Dos Navegantes”, no Grammy Latino 2017. Um dos artistas do trio, Mauro Senise, que já participou de um CD da Amazonas Jazz Band, fala sobre o sentimento de representar o Brasil em premiações internacionais e sobre sua relação com Manaus.

Sobre a participação no CD “Amazonas Band convida Gilson Peranzzetta e Mauro Senise”, gravado em 2012, Mauro conta que esteve em Manaus a convite do Maestro Rui Carvalho, e que se sentiu privilegiado.

“O convite foi imediatamente aceito. Como recusar participar de um show com esta maravilhosa big band, sob a regência do nosso querido Rui? O concerto foi gravado ao vivo e virou este lindíssimo CD, do qual tive a honra de participar”, contou.

Em entrevista ao Portal da Cultura, o músico também falou sobre o atual trabalho e planos. Confira o bate-papo:

Sobre a sua participação no CD da Amazonas Band em 2012, como se deu esta parceria?

Depois de ter participado duas vezes do Festival Amazonas Jazz – a primeira com meu quarteto e a segunda com o grupo ‘Cama de Gato’, do qual sou fundador – e de ter feito uma amizade que prezo muito com o maestro Rui Carvalho, diretor do festival, ele me convidou e ao pianista e compositor Gilson Peranzzetta para nos apresentarmos no festival com a Amazonas Band. O convite foi imediatamente aceito, como recusar participar de um show com esta maravilhosa big band, sob e regência do nosso querido Rui?! O concerto foi gravado ao vivo e virou este lindíssimo CD, do qual tive a honra de participar.

Após diversas vindas a Manaus, como se define a sua relação com a cidade?

Já toquei em Manaus umas cinco ou seis vezes. As primeiras vezes foram nos anos 80, quando eu fazia parte da banda de Egberto Gismonti. Depois voltei três vezes para participar do fabuloso Festival de Jazz e uma vez dentro do projeto ‘Música no Museu’. Adorei Manaus, aqueles peixes maravilhosos que experimentamos na companhia do Maestro Rui são inesquecíveis! O Teatro Amazonas é lindo e está muito bem conservado. Se o Rui me chamar, volto correndo pra tocar aí!

Sobre o álbum que ganhou o prêmio, quais características que esta obra tem que a diferencia das outras feitas por você?

“Dos Navegantes” é um CD cujo repertório foi escolhido pelo Edu, por mim e Romero, privilegiando músicas pouco conhecidas do Edu, mais camerísticas, mais sutis. E resolvemos usar uma instrumentação enxuta: apenas voz, sopros, violão e contrabaixo (do excelente Bruno Aguilar). O maravilhoso compositor e pianista Cristóvão Bastos participa de apenas uma faixa, “Noturna”, composição instrumental e inédita do mestre Edu. E Mingo Araújo toca percussão em “Gingado Dobrado”, a música “mais animadinha” do disco.

No último dia 16 de novembro, os músicos Mauro Senise, Romero Lubambo e Edu Lobo receberam o prêmio de Melhor Álbum de Música Popular Brasileira, com a obra “Dos Navegantes”, no Grammy Latino 2017.Foto: Divulgação

 Qual seu sentimento em relação a indicação e conquista do prêmio de melhor álbum MPB, do Grammy?

É a recompensa por um trabalho feito por três músicos unidos por uma grande amizade, afeto e admiração mútua. Gravamos um CD sem preocupações comerciais, se iria vender ou não, se iria tocar no rádio ou não (e provavelmente nunca vai tocar, visto o baixo nível das nossas rádios). Gravamos as músicas que gostamos de ouvir e com quem gostamos de tocar. Receber um prêmio tão importante como este foi muito gratificante para Edu Lobo, Romero Lubambo e eu. “Dos navegantes” ganhou por puro merecimento, acredito eu.

 Você já tem planos para novos trabalhos?

Sim!  Eu e Gilson Peranzzetta estamos preparando um novo CD, que será o 12º do nosso duo (que já existe há 27 anos). O repertório será com temas de trilhas de cinema. Composições que Henry Mancini, Michel Legrand, Alex North, Johnny Mandel, Tom Jobim, Chico Buarque, entre outros compositores, escreveram pra cinema. E vou gravar outro CD com Edu e Romero, com o mesmo conceito de “Dos Navegantes”: enxuto. Teremos como convidado, em algumas faixas, o acordeonista Kiko Horta. Edu já produziu uma lista com 23 músicas pra gente escolher. Agora começa o sofrimento: eleger 11 ou 12 composições no meio de tantas maravilhas compostas pelo Edu.

Conheça Mauro Senise

O saxofonista iniciou sua carreira na década de 70, quando aprendeu a tocar flauta clássica com Odette Dias e sax com Paulo Moura. Desde então o músico tocou em diversos grupos da música popular brasileira com o sonho de um dia ser solista.

 Mauro participou e lançou CDs em diversos lugares do Brasil, incluindo na cidade de Manaus. Participações e solos que lhe renderam prêmios como o “Playboy” e o prêmio “Brahma Extra de Revelação Instrumental”.

 Confira o vídeo oficial da canção “Valsa Brasileira”, do ábum “Dos Navegantes”

Imagem de Amostra do You Tube