MNBR

Histórico

O Museu de Numismática do Amazonas tem a sua origem na coleção de moedas, medalhas, cédulas e documentos históricos, organizada pelo comerciante amazonense Bernardo Ramos. Estudioso e fascinado pela Numismática, viajou por vários países, adquirindo peças para sua coleção.

Em 1898, adquiriu a valiosa coleção e respectiva biblioteca especializada do humanista pernambucano Cícero Peregrino Dias, enriquecendo ainda mais o seu acervo.


Fotos: Thomas Moura

O Governo do Amazonas autorizou a compra da coleção numismática de Bernardo Ramos, em 20 de Fevereiro de 1900, pela quantia de  trezentos contos de réis.

Em 1900, por ocasião das festividades do IV Centenário do Descobrimento do Brasil, realizadas no Rio de Janeiro, então capital da Republica, a Coleção Numismática foi exposta no período de 05 a 31 de maio de 1900, no salão nobre do Externato do Ginásio Nacional, hoje Museu Nacional. A exposição ao ser visitada pelo então Presidente da República Dr. Campos Salles, despertou neste um grande interesse, levando-o a fazer uma oferta de compra, o que foi recusado pelo amazonense.

Em 30 de novembro de 1900, o Decreto n.º 0460 criou a Seção Numismática e o Regulamento, que deu origem legal ao Museu. A coleção foi dividida em 24 vitrines de madeira de lei com cristal bisotado, e aberta à visitação na sede da Imprensa Oficial, que funcionava na Av. Sete de Setembro, posteriormente Banco do Estado do Amazonas, atual prédio do Banco Bradesco. Anos mais tarde, o Museu foi instalado no Palácio Rio Branco, sede da Secretaria do Interior e Justiça, depois na Assembléia Legislativa do Estado, na Praça D. Pedro II.

No dia 15 de junho de 1965, foi transferido para o prédio do Banco do Estado do Amazonas, onde permaneceu até 1970 e transferido em 30 de maio para um imóvel alugado, na Rua Henrique Martins, permanecendo por dez anos. Por decreto, em novembro de 1980, o Museu foi desativado e seu acervo recolhido aos cofres do Banco do Estado do Amazonas por dez anos.

Em 30 de Novembro de 1990, a Superintendência Cultural do Amazonas reabriu o Museu à visitação no Comando Geral da Policia Militar, na Praça Heliodoro Balbi.

No ano 2000, o Museu de Numismática Bernardo Ramos mudou-se para o complexo do Centro Cultural Palácio Rio Negro, passando a integrar o conjunto de bens e serviços culturais como a Pinacoteca, o Museu da Imagem e do Som, o Espaço de Referência Cultural e o Cine Teatro Guarany.

Finalmente, em 25 de março de 2009, o Museu retorna ao antigo prédio do Comando Geral da Policia Militar, atual Palacete Provincial. O acervo que em 1900, era considerado o primeiro da América Latina e o quarto do mundo, atualmente está entre um dos melhores do mundo em sua especialidade.

Após 1997, o Governo do Estado do Amazonas, voltou a adquirir peças para o Museu, como a compra da coleção de moedas de ouro, medalhas comemorativas, cédulas flor de estampa, moedas do Brasil Império e República, além das várias doações de visitantes brasileiros e estrangeiros.

Atividades e eventos

O Museu de Numismática Bernardo Ramos realiza apresentações infantis teatralizadas com uso de fantoche e vem representando de maneira integra ao longo dos seus 113 anos (30.11.1900), o seu papel de educador perante a sociedade. Lembrando sempre que, o conhecimento pode ser adquirido, armazenado, aperfeiçoado e aprimorado.

Com o seu valoroso acervo formado por mais de 31.099 peças, ele interage com as Escolas de todas as esferas, através de visitas guiadas, servindo de suporte para uma melhor compreensão dos assuntos explanados em sala de aula.

Com o propósito de despertar interesse do público infanto-juvenil, foi usada uma linguagem adaptada para atender a clientela de 2 a 9 anos de idade. Nessas estórias, algumas delas criadas e outras readaptadas, foram inseridas informações sobre o acervo do Museu de Numismática Bernardo Ramos, ou seja, incorporamos de maneira clara fatos históricos, a Geografia, a Economia, a Arte e usamos a Matemática para a conversão de moedas nacionais e internacionais, mostrando assim, a evolução do Sistema Monetário Mundial ao longo dos séculos, de maneira criativa e de fácil compreensão. Quando necessário, a personagem “Vovó” conta as estórias na linguagem dos sinais, ou seja, em Libras.

Para a realização desta atividade que faz parte do cotidiano do Museu, foi criado um pequeno cenário dentro do próprio Museu, denominado o “Cantinho do Beré”. Este nome “Beré” é em homenagem ao apelido carinhoso que Bernardo Ramos recebeu de familiares e amigos. No “Cantinho do Beré” são contadas as estórias infantis readaptadas e/ou criadas com informações referentes ao acervo do Museu.

As visitas somente precisam ser agendadas caso o visitante queira assistir alguma apresentação infantil. O ‘’Cantinho do Beré’’ conta com 25 almofadas, que são postas para que as crianças possam se acomodar de forma livre.

Acervo do Espaço

O acervo do Museu compreende em mais de 20.000 ( vinte mil) peças. Recebemos doações de moedas, medalhas, selos, cédulas e cartões telefônicos, e os mesmos farão parte do acervo, abrilhantando ainda mais essa magnífica coleção.

Horário de Funcionamento

Terça a Sexta das 09 às 14h.

Sábado das 09 às 13h.

Guia para Visitas

Não ingerir Alimentos e bebidas dentro dos espaços.

Não se debruçar e tocar nos vidros das vitrines.

Não atender celular ou conversar em voz alta.

Não fotografar as moedas (somente fotos panorâmicas do salão, sem flash e seguir as orientações do guia do museu).

Endereço e Contato

Palacete Provincial

Praça Heliodoro Balbi, s/n – Centro

CEP:69005-260

Email: m_numismatica_br@culturamazonas.am.gov.br

demus@culturamazonas.am.gov.br

Responsáveis: Poliana Grequi – Gerente-Turismóloga e Dênio Mota.

Estrutura Técnica

Não é permitido fazer fotos (somente com autorização)

Fotos somente com autorização da Assessoria de Comunicação

Lanchonete disponível

Lanchonetes disponíveis

Banheiros disponíveis para visitantes gdfhgdfghdfgdf

Banheiros disponíveis para visitantes

Acessibilidade para deficientes físico

Acessibilidade para deficientes físico, visual e auditivo

Guias para visita

Visitas guiadas

Localização