Recital de flauta e concerto de música renascentista movimentaram a manhã de domingo no Palácio da Justiça

Publicado em: domingo, 12 de novembro de 2017

Apresentações do Madrigal Amazonas e dos instrumentistas Rodrigo Acioli e Abrãao Araújo fizeram parte da programação dos “Concertos matinais”

O concerto de flauta com Rodrigo Acioli e Abrãao Araújo contou com a participação do flautista Arley Raiol e da pianista Irina Kazak, da Amazonas Filarmônica. Fotos: SEC

Suelen Reis

Mais de 60 pessoas estiveram, na manhã deste domingo, dia 12, no Centro Cultural Palácio da Justiça (Avenida Eduardo Ribeiro, 901, Centro) para apreciar o projeto “Concertos matinais”, realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura. A programação contou com Recital de Flauta com Rodrigo Acioli e Abraão Araújo; e um concerto do Madrigal Amazonas, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Para começar, às 10h, aconteceu o Recital de Flauta com Rodrigo Acioli e Abraão Araújo, integrantes da Orquestra Experimental da Amazonas Filarmônica e alunos do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro, apresentando obras de Telemann, Ibert, Haydn e Dopller.

Abrindo a récita, Rodrigo executou “Fantasie no. 1”, de G. Ph. Telemann; em seguida Abrão apresentou “Pièce Pour Flûte Seule”, de Jacques Ibert. Na sequência, o professor Arley Raiol – do Liceu de Artes e Ofícios Claudio Santoro e integrante da Amazonas Filarmônica – se uniu a dupla para executar “Trio para três violões ou uma Flauta e dois violões”, de Joseph Haydn, em arranjo para três flautas feito por Abraão.

O “Concerto em Ré Menor para duas Flautas e Piano”, de Franz Doppler, foi executado por Abrão e Rodrigo, acompanhados pela pianista Irina Kazak, da Amazonas Filarmônica. Todas as obras foram bastante aplaudidas pela plateia.

No final da apresentação, Abrãao disse estar contente com o público que os recitais têm atingido e com o alcance social desse projeto.

“Temos feito recitais nos Centros Culturais, nos Centros de Convivência da Família e estamos felizes porque tem uma questão social também. Nós que fazemos os espetáculos somos da periferia e estamos conseguindo, por meio desses eventos gratuitos, garantir o acesso dessas pessoas à arte”, comentou.

Na plateia, as irmãs mineiras Maria Auxiliadora Ricardo e Helenice Ricardo elogiaram a iniciativa.

“Estava aqui para conhecer o Palácio e, quando soube do recital, resolvi assistir. Gostei muito e filmei tudo”, contou Maria Auxiliadora.

Helenice, que mora em Manaus, destacou a variedade cultural da cidade. “Essa é a primeira vez que participo de um evento cultural aqui. Manaus tem uma característica bem peculiar, pois consegue ofertar uma variedade cultural muito grande: temos os banhos (balneários), os eventos de boi, ao mesmo tempo em que podemos apreciar um evento de música clássica, num prédio histórico como esse e com entrada gratuita. As pessoas têm que aproveitar esse acesso”, observou.

‘Renascença’

Na segunda parte dos “Concertos Matinais”, às 11h, o Madrigal Amazonas, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), apresentou o concerto “Renascença: Motetos, Cancioneiros, Canções e Madrigais”.

Com direção artística e regência do maestro Adroaldo Cauduro, a apresentação foi dividida em duas partes. A primeira, com repertório sacro, composto pelos Motetos “O Bone Jesu” e “Alma Redemptoris Mater”, de Giovanni Pierluigi da Palestrina; “Ave Maria” e “O Magnum Mysterium”, de Thomas Luis de Victoria.

Na segunda parte foram apresentados, em espanhol, os cancioneiros musicais de palácio “Pase El Agua, Ma Julieta” e “Dindirindin”; as canções francesas “Tourdion” (Anonimo) e “Mon Coeur Se Recommade à Vous”, de Roland de Lassus; os madrigais ingleses “April Is In My Mistress`s Face”, de Thomas Morley e “Fair Phyliis”, de John Farmer; e os italianos “Matona Mia Cara” e Tutto Lo Di”, de Roland de Lassus.

Entre uma canção e outra, o maestro fez a contextualização sobre as canções e as épocas em que foram compostas, com intuito de formação de plateia.

“Eu acredito que as pessoas passam a gostar daquilo que elas têm acesso. E se você acessa de uma forma lúdica, de uma forma didática, contextualizando, falando sobre as músicas, falando sobre o sentido e como foram compostas, as pessoas vão entender melhor. Eu acredito que as palavras mágicas para a formação de plateia são simplicidade e acesso”, pontuou Adroaldo.

Participaram da apresentação 18 integrantes do Madrigal entre sopranos, contraltos, tenores e baixo. O concerto contou, ainda, com as participações de Fábio Ventura ao piano e com a professora de técnica vocal, Caroline Caregnato.

A turista chinesa Yuan Zeng assistiu às duas apresentações e disse ter aproveitado a visita ao palácio.

“Gostei dessa manhã musical. Filmei tudo. Foi muito agradável!”, disse antes de pedir para fazer uma foto ao lado do maestro.