Arquivo da tag: Centro Cultural Palácio da Justiça

Solista internacional Homero Perez ministra aula de canto no Palácio da Justiça 

 Master class faz parte da contrapartida do projeto do 21º Festival Amazonas de Ópera

 

 

Sérgio Rodrigues

Mais de 30 pessoas acompanharam a aula de canto de um dos destaques do 21º Festival Amazonas de Ópera (FAO), o barítono cubano Homero Perez, que revelou alguns dos segredos de seu alcance vocal no Centro Cultural Palácio da Justiça (CCPJ), na tarde desta quarta-feira (16). O master class é uma das contrapartidas do projeto artístico do FAO, que terá mais uma oficina na semana que vem.

O FAO 2018 é uma realização do Governo do Amazonas com patrocínio do Bradesco Prime – que celebra 10 anos de parceria com o festival –, incentivo do Ministério da Cultura (Minc) por meio da Lei Rouanet; além do apoio da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC) e da Aliança Francesa.

Homero Perez, além de palestrar, convidou alunos a cantar com ele e apontou detalhes para melhorar a performance. O barítono destacou a importância da respiração e de conseguir uma voz clara no momento do canto. “A voz clara é luminosa e encanta. É necessário dedicação e esforço para conseguir um som limpo, que será melhor entendido pelo público e vai contribuir melhor com o espetáculo como um todo”, declarou.

Perez interpretou o demoníaco Mefistófeles na ópera de estreia do 21º FAO, “Faust”, de Charles Gounod, e arrancou aplausos do público pela voz e interpretação. Essa última característica também foi abordada pelo cubano durante a aula no Palácio da Justiça.  “O cantor precisa cultivar-se, estudar, sair, conhecer, ficar menos tempo ligado em dispositivos celulares”, disse Perez.  “Quando estava me preparando para o papel de Mefistófeles li todos os livros alegóricos ao papel do demônio para que pudesse entender o personagem. Não vale Wikipédia, Google, é preciso aprofundar-se a aprender sobre os personagens que serão interpretados”, apontou o cantor, que também fez Riolobo na ópera “Florencia en el Amazonas”.

Muitos integrantes do Coral do Amazonas, corpo artístico do Estado, participaram da aula. Entre eles, Diógenes Lira, 40. “O Homero é um pessoa muito gentil e falou sobre vários aspectos do canto. Um dos principais foi como temos a impressão, como cantores, de que temos que escurecer a voz durante o canto, deixando a letra um pouco incompreensível,  e ele ensinou uma outra forma de cantar, deixando o som mais nítido para as pessoas entenderem. Foi didático e esclarecedor”, disse.

Outro integrante do Coral, Alexandre Tiago Frota, 33, destacou a gentileza e a abertura de Homero para falar com os alunos. “Ele se mostrou muito receptivo com todos até mesmo quando estávamos no Teatro acompanhando ele na ópera, isso foi muito legal. As dicas foram de grande valia e crescimento, principalmente, no cuidado com a respiração para o canto”.

Oficinas

No dia 24 de maio, quinta-feira, será realizada uma oficina de cenografia com Giorgia Massetani, a partir das 14h na Central Técnica de Produção da SEC, localizada no bairro Cachoeirinha, também como contrapartida do 21º FAO.

Ainda segundo o maestro marcelo de Jesus, diretor adjunto artístico do FAO, uma oficina de iluminação também está prevista para ocorrer na semana de estreia da última ópera do 21º FAO, a obra “Kawah Ijen – Vulcão  Azul”. “A oficina será com Fábio Retti, um dos principais iluminadores associados à ópera no País, e também será uma ótima oportunidade. Ainda estamos organizando a data exata em que ela será realizada”.

Festival Amazonas de Ópera

Este ano, o Festival conta com a apresentação de cinco óperas: “Faust”, “Dessana Dessana”, “Florencia en el Amazonas”, “Acis and Galatea” e a estreia mundial “Kawah Ijen (Vulcão azul)”. Os ingressos estão disponíveis na bilheteria do Teatro Amazonas e no site www.aloingressos.com.br, com valores que vão de R$ 5 a R$ 60.

Durante a temporada de ópera, também acontecerão atividades paralelas nos centros de convivências, shoppings, nos municípios de Manacapuru, Iranduba (no distrito do Cacau Pirera) e em Novo Airão; além do “Ópera Delivery”, que levará sessões exclusivas de trechos de obras à casa dos amazonenses, e do projeto “Ópera Studio”, da Escola Superior de Artes e Turismo da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), que apresentará “La Boheme”, de Giacomo Puccini, no Teatro da Instalação.

Sobre o Bradesco Cultura

Com mais de 350 projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. O Banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do País, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte. Com apoio a eventos regionais, museus, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros, a instituição tem, ainda, uma plataforma de naming rights com o Teatro Bradesco, que conta com unidades em São Paulo e Rio de Janeiro.

Em 2018, já passaram pela Temporada Cultural do Bradesco as exposições Julio Le Parc, Mira Schendel e Hilma af Klint, o espetáculo Bibi Ferreira e o Lollapalooza Brasil. Estão em cartaz os musicais Peter Pan e Ayrton Senna, além de diversas atrações confirmadas ao longo do ano, como os festivais de Parintins, Tiradentes, a festa junina de São João do Caruaru, ArtRio, MIMO e MADE, entre outras.

 

Serviço: Oficina de Cenografia com Giorgia Massetani

Datahora: 24 de maio, quinta-feira,  a partir das 14h

Local: Central Técnica de Produção (CTP) – Rua Carmem Miranda, 1297 , Cachoeirinha

 

 

 

Centro Cultural Palácio da Justiça recebe exposição ‘Ghibli – O vento quente do deserto’

A exposição se estenderá até o dia 10 de junho com visitação gratuita

 

 Nessa quarta-feira (02/05), a partir das 18h, o Centro Cultural Palácio da Justiça (avenida Eduardo Ribeiro, 901, Centro, zona sul) vai receber a exposição“Ghibli – O vento quente do deserto”, com 25 obras assinadas por oito artistas amazonenses. A mostra, que faz parte da agenda do Programa Espaço Aberto, promovido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), se estenderá até o dia 10 de junho, com visitação gratuita.

Poucas produções cinematográficas, desde os primórdios da sétima arte, conseguiram abordar temas tão profundos e humanos de forma tão simples e sensível como o Studio Ghibli tem feito durante toda sua trajetória. Em muitos filmes, o seu criador Hayao Miyazaki, consegue transpor as barreiras do real apresentando dramas atemporais em narrativas de fantasia, falar sobre a urgência da preservação ambiental em um conto de raízes mitológicas ou acerca das mudanças vividas por jovens personagens em um tom extremamente intimista e delicado.

E é inspirado pela belíssima produção do Studio Ghibli, um dos mais influentes do mundo, que o grupo de artistas manauenses decidiu realizar uma exposição de ilustrações que celebra os filmes e suas relações com a cultura japonesa.

Palestras e oficinas

Além da mostra, serão ofertadas palestras e oficinas ministradas pelos próprios artistas e convidados, a visitação é gratuita e ocorre de segunda a sábado, das 13h às 17h e aos domingos, de 11h até 15h. As palestras e oficinas acontecerão sempre aos sábados e, somente para as oficinas será cobrada uma taxa de R$10 para cobrir as despesas com material utilizado.

Filmes de sucesso, como o ganhador do Oscar de melhor animação “A Viagem de Chihiro” e “Meu Vizinho Totoro” também ganharam a interpretação dos membros do coletivo em diversas técnicas e estilos.

“Preocupamos-nos em escolher aqueles filmes que apresentam as características que mais destacam o Ghibli. A busca pelo elo cultural perdido entre o povo japonês e sua tradição, a ecologia, a fantasia e a contemplação são fundamentos do trabalho de Hayao Miyazaki, e tornam as produções do estúdio, em minha opinião, o sucesso que são”, afirma Luiz Andrade, membro do coletivo e organizador da exposição.

Coletivo X Mao

O coletivo X Mao foi criado em 2009, atuando inicialmente em exposições dentro de eventos relacionados à cultura japonesa. Hoje, o coletivo atua principalmente no campo das artes visuais, com ilustrações, quadrinhos, pinturas, fotografias e também em literatura. O grupo já participou de exposições, como a “A voz do fogo”, realizada em 2014 em homenagem ao escritor inglês Alan Moore, e também de eventos como a “ComicConExperience”, que acontece anualmente em São Paulo.

 

Confira a Programação das Palestras e Oficinas

05/05 – Palestra sobre a relação entre os filmes e a cultura japonesa.

12/05 – Oficina sobre animação básica

08/06 – Oficina sobre roteiro (escrevendo roteiros)

09/06 – Palestra/roda de conversa sobre ilustração japonesa

Sempre de 14h até 16h

 

Serviço: Exposição ‘Ghibli – o vento quente do deserto’

Data/hora: Estreia dia 2 de maio, às 18h; visitação continua até 10 de junho de segunda a sábado, das 13h às 17h, e aos domingos, de 11h até 15h

Local: Centro Cultural Palácio da Justiça – Avenida Eduardo Ribeiro, 901, Centro

Entrada: Gratuita

Classificação indicativa: Livre

 

Clube dos Quadrinheiros estreia projeto ‘Cine CQM’ no Palácio da Justiça

 

Eduarda Prado

Neste sábado (28/04), a partir das 16h, o Centro Cultural Palácio da Justiça, localizado na avenida Eduardo Ribeiro, no Centro de Manaus, vai receber a primeira edição do “Cine CQM”, evento do Clube dos Quadrinheiros de Manaus, que exibirá “Paprika” (2006), um filme japonês de ficção científica. A programação, que possui entrada gratuita, faz parte da agenda do “Espaço Aberto”, promovido pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

“Paprika” é baseado no livro homônimo de Yasutaka Tsutsui e fala sobre uma pesquisa psicológica realizada com um aparelho que permite que terapeutas entrem nos sonhos dos pacientes, por meio de um tratamento psicoterapêutico, com o objetivo de ajudá-los.

De acordo com Adriano Bezerra, integrante do Clube dos Quadrinheiros, o “Cine CQM” tem como principal finalidade popularizar e unir a sétima e a nona arte. “A proposta do projeto é divulgar filmes de cinema e histórias em quadrinhos, para a sociedade em geral. Trata-se de uma forma eficiente de difundir entretenimento e cultura, assim como conhecimento”, pontua.

Sobre o Cine CQM 

O “Cine CQM” é um projeto idealizado pelo Clube dos Quadrinheiros de Manaus e tem como peculiaridade apresentar filmes que mostram a interseção da sétima e da nona arte (cinema e histórias em quadrinhos). Sempre estarão em cartaz filmes com personagens de histórias em quadrinhos, animação ou simplesmente uma adaptação feita dos gibis para os cinemas.

 

Serviço: Clube dos Quadrinheiros estreia ‘Cine CQM’
Data/hora: 28 de abril de 2018, sábado, a partir das 16h
Local: Centro Cultural Palácio da Justiça (Av. Eduardo Ribeiro, 901 – Centro)
Entrada: Gratuita
Classificação indicativa: 18 anos

Projeto ‘My Road’ oferece aulas de inglês para alunos da rede pública

O curso, que tem certificação e duração de dois anos, acontece no Centro Cultural Palácio da Justiça

 

O curso tem duração de dois anos e terá entrega de certificados. Foto: Divulgação

 

O Centro Cultural Palácio da Justiça recebe, todas as quartas-feiras, voluntários do projeto “My Road”, que se reúnem para ensinar inglês gratuitamente a adolescentes de escolas públicas de diversos bairros da cidade. O projeto tem o apoio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) através da concessão de espaço para a realização das aulas.

“My Road” foi criado pelo grupo Alumni Manaus com o intuito de promover a inclusão social por meio da oferta de curso de Língua Inglesa e noções de cidadania gratuitamente aos alunos. Além das aulas no Palácio da Justiça, ministradas pela professora Ana Rita, os professores voluntários Ionara Luz e Thiago Blair também lecionam inglês em escolas da zona leste e no bairro Japiim.

De acordo com a professora Ana Rita de Matos, que é uma das coordenadoras do projeto em Manaus, “My Road” surgiu com a criação de um grupo de ex-intercambistas, apoiados pela Embaixada Americana, que decidiu ministrar aulas gratuitas.

“Sentimos a necessidade de nos engajarmos com projetos voluntários de inclusão social de diferentes públicos, a partir daí começamos a lecionar. Essa uma forma de mudar a realidade desses adolescentes”, afirma Rita.

“My Road” é realizado pelo U.S – Brasil Exchange Alumni Manaus, com apoio do Instituto Cultural do Brasil/ Estados Unidos (ICBEU), da Secretaria de Estado da Educação (SEDUC), Secretaria Municipal de Educação (SEMED), Secretaria de Estado de Cultura (SEC), pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), e Paradise Turismo.

Um dos objetivos do curso é preparar alunos finalistas do Ensino Fundamental para o processo seletivo do Programa Jovens Embaixadores, que é uma iniciativa de responsabilidade social da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, em parceria com organizações públicas e privadas.

Para ingressar no programa é indispensável comunicar-se na Língua Inglesa.

 

O curso tem duração de dois anos, e os alunos concluintes receberão um certificado e orientações e como candidatar-se para concorrer a uma vaga para o programa “Jovens Embaixadores”.

 

Artista paraense Natália Matos realiza oficina ‘Da criação à realização de um disco’ em Manaus

Cantora e compositora aborda diferentes etapas da produção de registros fonográficos em formação nesta segunda-feira (26/02), às 16h, no Centro Cultural Palácio da Justiça

Financiamentos coletivos e outras formas de captação de recursos estão entre temas da oficina de Natália, que produziu seu último disco com a ajuda de uma bem-sucedida campanha online. Foto: Julia Rodrigues/Divulgação

 

Quais as etapas necessárias para se realizar um disco? Que aspectos se deve levar em conta, além da música? E como obter recursos para a iniciativa? Estas e outras questões estão na pauta da oficina “Da criação à realização de um disco”, que a artista paraense Natália Matos apresenta nesta segunda-feira (26/02), das 16h às 19h, no Centro Cultural Palácio da Justiça.

A atividade é gratuita, numa realização do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC). Os interessados em participar da formação devem enviar email com nome completo e telefone de contato para o endereço eletrônico fc.liceu@gmail.com, até o dia 26 de fevereiro, às 14h. As vagas são limitadas para até 60 participantes. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (92) 3232-2440, ramal 2544.

 

Fases
Na formação, Natália Matos vai abordar todas as fases para a realização de um disco, desde o desenvolvimento do conceito até a viabilização do projeto. As etapas de escolha de figurino, conceito de fotografia e conexão com profissionais da cadeia produtiva da concepção artística, como ilustradores, fotógrafos, designers, produtor e diretor musical, também farão parte dos temas abordados.

A cantora e compositora destacará ainda formas de captação de recursos, como editais e financiamentos coletivos, com base na bem-sucedida experiência de seu mais recente álbum, “Não sei fazer canção de amor”. Lançado em novembro do ano passado, o disco foi objeto de uma campanha de financiamento coletivo de sucesso, com vídeos e intenso contato com os fãs nas redes sociais.

 

Biografia
Natália Matos integra a safra de artistas paraenses que exibem trabalhos cosmopolitas, com um pop rico e de múltiplas referências. Em seu último álbum, “Não sei fazer canção de amor”, com produção de Léo Chermont (do duo Strobo) e direção artística de Carlos Eduardo Miranda, ela assina nove de dez faixas, ampliando os horizontes de sua musicalidade e consolidando-se como compositora.

Seu primeiro álbum, homônimo, foi lançado pelo Natura Musical, com produção de Guilherme Kastrup, tendo sido considerado um dos 30 melhores discos lançados no Brasil em 2014 pelo site internacional Beehype.

Natália já se apresentou no Recbeat (PE), ao lado de Mestre Vieira; no projeto Música na Estrada, pelo interior do Pará; no programa “Cantoras do Brasil” do Canal Brasil; no projeto Prata da Casa, do Sesc Pompeia (SP, 2014), na SIM São Paulo; no Festival Conexão Belém (PA), como convidada de Dona Onete com seu próprio show; no Festival Se Rasgum (PA, 2015); no Festival SÊLA (SP, 2017); e no Festival MANA (2017).

 

Serviço: Oficina “Da criação à realização de um disco”, com Natália Matos (PA)
Data/hora: Segunda-feira, dia 26 de fevereiro, das 16h às 19h
Local: Centro Cultural Palácio da Justiça, avenida Eduardo Ribeiro, 901, Centro
Inscrições: Pelo email fc.liceu@gmail.com, informando Nome Completo e Telefone de Contato, até o dia 26 de fevereiro, às 14h
Informações: (92) 3232-2440

Iberê Camargo, Moacir Andrade e outros nomes integram exposição da Coleção Thiago de Mello

Com curadoria de Óscar Ramos, mostra já em cartaz no Centro Cultural Palácio da Justiça reúne 37 obras inéditas de artistas do Brasil e da América Latina

Centro Cultural Palácio da Justiça abriga exposição do acervo inédito da Coleção Thiago de Mello. Foto: Michael Dantas/SEC
Mostra reúne 37 obras de artistas do Brasil e da América Latina. Foto: Michael Dantas/SEC
Denilson Novo, secretário de Cultura (à dir.), e Óscar Ramos, curador da exposição. Foto: Michael Dantas/SEC
Exposição tem visitação gratuita de segunda a sábado, das 13h às 17h, e domingos, das 11h às 15h. Foto: Michael Dantas/SEC
Denilson Novo (à dir.) e Óscar Ramos percorrem exposição no Palácio da Justiça. Foto: Michael Dantas/SEC
Também artista plástico, Óscar Ramos assina curadoria da exibição. Foto: Michael Dantas/SEC

Jony Clay Borges

Aberta na noite da última quarta-feira (31/01), a exposição “Décadas de Amizades e Cores – Notícias da Coleção Thiago de Mello” apresenta ao público amazonense um rico acervo com obras de artistas do Brasil, incluindo nomes representativos das artes plásticas no Amazonas, e da América Latina. A mostra é uma realização do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC).

“Décadas de Amizades e Cores” tem visitação gratuita de segunda-feira a sábado, das 13h às 17h, e aos domingos, das 11h às 15h, no Centro Cultural Palácio da Justiça, no Centro. A exibição ficará em cartaz até 30 de abril de 2018.

Com curadoria de Óscar Ramos, a nova mostra da Coleção Thiago de Mello reúne 37 obras, presenteadas ao poeta amazonense por importantes nomes do cenário brasileiro, como Iberê Camargo, Santa Rosa, Fernando Fiuza e Ana Letícia, e representantes do Amazonas, entre eles Moacir Andrade, Jair Jacqmont, Sérgio Cardoso, Hahnemann Bacelar e Paulo Olivença. Há ainda trabalhos de Roser Bru e Guillermo Núñez, ambos do Chile.

Universo de arte e poesia
Para o secretário de Cultura, Denilson Novo, a mostra no Centro Cultural Palácio da Justiça oferece aos visitantes a oportunidade de imergir no universo artístico e poético em que Thiago de Mello vem vivendo ao longo de sua carreira.

“Graças à sensibilidade do Óscar na montagem, a exibição tem um clima intimista e aproxima a gente dessas obras de arte que, sem dúvida, eram de grande estima do Thiago e compunham o universo que o inspirava em seus trabalhos. Todo amazonense que puder visitar e conhecer essas obras vai sair também inspirado”, destacou ele, na abertura da mostra.

“Ficamos muito felizes de inaugurar mais uma grande exposição, capaz de despertar potenciais no público”, completou o secretário.

Declarações de amor
Para Óscar Ramos, o novo acervo da Coleção Thiago de Mello, tal como os demais hoje existentes na Pinacoteca do Amazonas e na Pinacoteca Municipal de Manaus, enfatiza o apreço de numerosos e diversos artistas pelo poeta amazonense. “Ela afirma algo que considero do maior valor, que é o amor desses artistas pelo Thiago. Para mim, isso é a estrela da Coleção, em todas as suas partes”, ele assinala.

Do acervo, o curador e também artista plástico destaca representantes do Modernismo brasileiro dos anos 1950. “Esta mostra tem uma obra de Tomás Santa Rosa, um nome raríssimo de se ver seja onde for. Tem Fayga Ostrower, Athos Bulcão, Iberê Camargo, Darel Lins. São verdadeiras pérolas”, aponta.

Óscar ainda destaca a presença numerosa de artistas do Amazonas no acervo da atual mostra, fazendo dela a mais Amazônica da Coleção Thiago de Mello. “Tenho muita admiração pela obra do Paulo Olivença, e aqui estão três telas dele”.

Guillermo Núñez, "Sem título". Foto: Reprodução/SEC
Aldemir Martins, "Sem título". Foto: Reprodução/SEC
Ana Letícia, "Sem título". Foto: Reprodução/SEC
Iberê Camargo, "Madrinha Iva". Foto: Reprodução/SEC
Jair Jacqmont, "Mulher com folha de imbaúba". Foto: Reprodução/SEC
Roser Bru, "Retrato de Rimbaud". Foto: Reprodução/SEC
Santa Rosa, "Catedral de Barro". Foto: Reprodução/SEC
Sérgio Cardoso, "Sem título". Foto: Reprodução/SEC

Integram a exposição ainda documentos de interesse artístico e histórico, entre eles uma carta escrita a Thiago de Mello pelo também poeta Carlos Drummond de Andrade. Outro são os planos de construção da casa de Thiago em Barreirinha, assinados pelo arquiteto Lúcio Costa, conhecido internacionalmente como idealizador do Plano Piloto de Brasília, nos anos 1950.

Arte para o público
Para os visitantes que estiveram na abertura, a exposição efetivamente causou impacto. “Achei a exposição fantástica, com brilhantismo e cada detalhe muito pensado. Estou feliz de estar aqui”, declarou a artista plástica e arte-educadora Rejane Melo, que se disse especialmente encantada pela obra de Moacir Andrade, que retrata um ramalhete de flores: “Eu me apaixonei por aquela pintura”.

Rejane tem um ateliê de arte para crianças, e regularmente visita os museus da cidade com seus jovens alunos. “É importante que elas conheçam os nossos artistas, as grandes estrelas que temos no Estado”, enfatiza ela, salientando o valor do acesso à arte entre o grande público. “A arte é para todos. Temos que valorizar os artistas que temos, tanto os que estão no mercado quanto aqueles que virão”.

 

Serviço: Exposição “Décadas de Amizades e Cores – Notícias da Coleção Thiago de Mello”
Data/hora: Visitação até o dia 30 de abril, de segunda a sábado, das 13h às 17h, e aos domingos, das 11h às 15h
Local: Centro Cultural Palácio da Justiça, avenida Eduardo Ribeiro, 833, Centro
Entrada: Gratuita

Exposição no Centro Cultural Palácio da Justiça reúne acervo inédito da Coleção Thiago de Mello

Intitulada “Décadas de Amizades e Cores”, mostra será inaugurada nesta quarta-feira (31/01), às 18h30, trazendo obras de artistas do Brasil e da América Latina

Guillermo Núñez, "Sem título". Foto: Reprodução/SEC
Aldemir Martins, "Sem título". Foto: Reprodução/SEC
Ana Letícia, "Sem título". Foto: Reprodução/SEC
Iberê Camargo, "Madrinha Iva". Foto: Reprodução/SEC
Jair Jacqmont, "Mulher com folha de imbaúba". Foto: Reprodução/SEC
Roser Bru, "Retrato de Rimbaud". Foto: Reprodução/SEC
Santa Rosa, "Catedral de Barro". Foto: Reprodução/SEC
Sérgio Cardoso, "Sem título". Foto: Reprodução/SEC

Jony Clay Borges

Reunindo pinturas, desenhos e gravuras de artistas brasileiros e latino-americanos, a exposição “Décadas de Amizades e Cores – Notícias da Coleção Thiago de Mello” inaugura nesta quarta-feira (31/01), às 18h30, no Centro Cultural Palácio da Justiça. A mostra é uma realização do Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), e apresenta um acervo inédito de obras da coleção de arte do poeta amazonense.

“Décadas de Amizades e Cores” tem entrada gratuita. Após a abertura, a exposição terá visitação de segunda a sábado, das 13h às 17h, e aos domingos, das 11h às 15h, até o dia 30 de abril de 2018.

Com curadoria de Óscar Ramos, a mostra reúne um total de 37 obras, que foram selecionadas a partir de um acervo inédito da Coleção Thiago de Mello, adquirido no ano passado pelo Governo do Amazonas, por meio da SEC.

“É com muito orgulho, alegria e as bênçãos do Poeta que hoje apresentamos essa nova exibição da Coleção Thiago de Mello. Nela, oferecemos ao olhar do público amazonense uma série de obras inéditas, principalmente com nomes da arte brasileira”, afirma o secretário de Cultura, Denilson Novo.

Mostra
Do conjunto de obras em exibição, Óscar Ramos destaca nomes importantes da arte brasileira dos anos 1950. “Nomes como os de Santa Rosa, Iberê Camargo, Athos Bulcão, Fayga Ostrower e Darel Lins que, naquela década, mantiveram acesa a luz projetada pelo sucesso de Cândido Portinari e dos Muralistas Mexicanos, que foram mundialmente aclamados”, aponta o curador.

Outros nomes nacionais na mostra, Ana Letícia, Aldemir Martins e Fernando Fiuza aparecem ao lado dos amazonenses Moacir Andrade, Jair Jacqmont, Hahnemann Bacelar, Sérgio Cardoso, Auxiliadora Zuazo e Paulo Olivença. Da América Latina, a exibição inclui obras do chileno Guillermo Núñez e da chilena nascida na Espanha, Roser Bru – autora do desenho a lápis e pastel “Retrato de Rimbaud”.

Integram a mostra ainda desenhos técnicos do arquiteto Lúcio Costa com os planos da construção da casa de Thiago de Mello em Barreirinha e uma carta de Carlos Drummond de Andrade para o poeta amazonense.

 

Serviço: Exposição “Décadas de Amizades e Cores – Notícias da Coleção Thiago de Mello”
Data/hora: Abertura na quarta-feira, dia 31 de janeiro, às 18h30; visitação até o dia 30 de abril, de segunda a sábado, das 13h às 17h, e aos domingos, das 11h às 15h
Local: Centro Cultural Palácio da Justiça, avenida Eduardo Ribeiro, 833, Centro
Entrada: Gratuita

Governo do Amazonas lança programação do Carnaval 2018

 

O evento de lançamento, que ocorreu no Centro Cultural Palácio da Justiça, contou com a participação do vice-governador e secretário de Segurança Pública do Amazonas, Bosco Saraiva

Secretarias envolvidas na programação do Carnaval doviulgaram suas ações. Foto: Michael Dantas/ SEC

 

O Governo do Amazonas lançou, nesta terça-feira (23/01), a programação do Carnaval 2018 no Estado, que traz o tema “A Festa de Todos”. Entre as novidades deste ano está a temporada “Além da Passarela”, que levará escolas de samba, bandas e levantadores de toadas para ações em terminais de ônibus, galerias, praças de alimentação e shoppings; o apoio ao Carnaval alternativo e o Portal do Carnaval, que reunirá a agenda de atividades realizadas na capital e no interior durante o período de folia, assim como serviços de saúde e segurança.

O evento de lançamento, que ocorreu no Centro Cultural Palácio da Justiça, contou com a participação do vice-governador e secretário de Segurança Pública do Amazonas, Bosco Saraiva; do secretário de Cultura, Denilson Novo; da presidente da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC), Ana Patrícia Cuvello; do diretor de eventos da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Beto Vital; do secretário de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), Arthur Lins; e da secretária executiva adjunta de Gestão da Juventude, Esporte e Lazer do Amazonas (Sejel), Suelen Sales.

“Unimos esforços em uma ação integrada de Governo do Amazonas para que realizemos este Carnaval de 2018 de uma forma diferenciada. Certamente a temporada será um divisor de águas na história da organização das grandes festas populares do estado”, declarou Denilson Novo.

O secretário de Cultura adianta que a temporada de Carnaval inicia, simultaneamente, às 18h desta terça-feira, em seis pontos diferentes, com a bateria da Vila da Barra no T1, no Centro; Vitória Régia no T2, na Cachoeirinha; Cauxi Eletrizado no T3, na Cidade Nova; Reino Unido no T4, no Jorge Teixeira; A Grande Família no T5; no São José; e a dobradinha Pororoca Atômica e Gramopholia na Estação da Matriz, no Centro. “É uma iniciativa que aproxima governo e população nesta festa que é de todos. Este é o ‘Além da Passarela’”, comentou Denilson.

Neste ano, os desfiles do Grupo de Acesso e Especial serão nos dias 9 e 10 de fevereiro, respectivamente. Já os concursos de fantasias adulto e infantil acontecerão nos dias 11 e 12 de fevereiro, no Teatro Amazonas.

“Teremos a organização que o Carnaval precisa, com cinco dias, para ensaios técnicos e passagem de som, com um técnico de som para atender as demandas específicas das Escolas de Samba antes dos desfiles”, explicou.

O encerramento da temporada terá o Carnaval das Tradições, em parceria com o projeto Tacacá na Bossa, no Largo de São Sebastião, às 17h, no dia 14 de fevereiro.

Toda a programação do Carnaval 2018 será disponibilizada no Portal da Carnaval, que também divulgará as ações de todas as secretarias. O portal será lançado a partir das 18h, junto com as ações nos terminais de ônibus: www.carnaval2018.am.gov.br. “O Portal do Carnaval será um guia com informações importantes para o público, que vai de folião a organizadores de eventos”, disse Denilson Novo.

 

Carnaboi  – Outro destaque da programação é a volta do Carnaboi para o calendário oficial do estado. A festa com tema “O Carnaval com nosso ritmo” será no dia 12 de fevereiro, no Sambódromo, com a expectativa de atrair 150 mil pessoas.

No total, 24 artistas se revezarão nos trios elétricos entre 19h e 4h, com os levantadores e apresentadores oficiais dos bumbás, Marujada e Batucada, animando a galera entre 23h e 1h. Segundo o diretor de eventos da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Roberto Vital, será um único modelo de tururi para todos os artistas.

“O lançamento oficial do tururi será nesta sexta–feira (26), no Centro de Convenções do Amazonas Vasco Vasques e, a partir do sábado (27), os tururis estarão à venda nos principais shoppings da cidade”, afirma o diretor.

Na programação do Carnaboi ainda estão confirmadas atividades no Largo São Sebastião, nos dias 24 e 31 de janeiro e 7 de fevereiro, a partir das 19h, pocket shows nos estandes de vendas e no estádio Carlos Zamith, dia 3 de fevereiro, a partir das 11h.

 

Sociais – No dia 3 de fevereiro, das 8h às 12h, a Secretaria da Juventude, Esporte e Lazer do Amazonas (Sejel) coloca o Bloco Esporte Folia no estacionamento do estádio Carlos Zamith, no Coroado.

“O evento tem como objetivo incentivar e promover a saúde e o bem-estar através do esporte e lazer, para que os participantes possam se preparar para curtir o Carnaval e também ter consciência do cuidado com o corpo e a mente”, destaca a secretária executiva adjunta de Gestão, Suelen Sales, ressaltando que, entre as atividades esportivas, o público poderá praticar slackline, tênis de mesa, dama, luta, minivôlei, minifutebol, pebolim e pula-pula. “Através de parcerias com academias, durante toda a manhã haverá aulas de ritmo ao som de muita folia, onde a população vai aprender as coreografias do Carnaval 2018”.

Já no dia 9 de fevereiro, a Sejel promove o Carnaval Vidativa na Folia, a partir das 15h, no Ginásio Poliesportivo do Amazonas Arena Amadeu Teixeira.

A festa contará com a participação de mais de 40 grupos da capital e do interior do Amazonas, em um evento gratuito. Os melhores blocos carnavalescos serão premiados com medalhas.

Campanhas – Durante o Carnaval, a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc) vem com duas ações de enfrentamento a violência de dois públicos vítimas em potencial de violência, abuso, exploração e assédio: o de mulheres e o de crianças e adolescentes.

Na Campanha Estadual de Proteção à Criança e ao Adolescente, com o tema “Fique Atento e Denuncie!”, as denúncias podem ser feitas pelos disque 100 ou 108 e para o 190. Todos funcionam 24 horas.

“O objetivo é coibir, auxiliar na fiscalização, receber denúncias e fazer encaminhamentos quanto a crimes de violência sexual, trabalho infantil, uso de álcool e outras drogas, tráfico humano e desaparecimento de crianças”, afirma o titular da pasta, Arthur Lins. “Para isso, as equipes da Sejusc vão trabalhar nos desfiles das escolas de samba e no Carnaboi”.

Outra atividade de conscientização fica por conta da Banda Maria Vem com as Outras, que acontecerá no dia 2 de fevereiro, de 15h às 18h, no Centro de Manaus, com a missão de informar o público, de forma lúdica, sobre combate a violência e ao assédio à mulher.

 

Segurança – Desde o início de janeiro, a Secretaria de Segurança Pública tem realizado diversas ações integradas, com foco na fiscalização de eventos carnavalescos e pré-carnavalescos em todas as zonas da capital. Determinada pelo vice-governador e secretário de Segurança Pública, Bosco Saraiva, a Operação “Alegoria Proibida” realiza ações de fiscalização dos eventos em todas as zonas da capital.

Câmeras do Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) realizam o monitoramento de bandas e blocos carnavalescos para otimizar a ação policial. Todas as ações de segurança estão sendo realizadas de forma integrada utilizando servidores da Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas e Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-Am).

“Sejam os eventos grandes ou pequenos, todos eles terão a presença da Polícia Militar, com pelo menos uma viatura nos informando sobre a situação de forma imediata caso venha acontecer qualquer tipo de alteração. Toda a operação da SSP-AM também será acompanhada pele helicóptero Águia, da Polícia Militar, então teremos fortíssima presença no sentido de proteger todos os foliões durante os eventos”, declarou Bosco Saraiva.

 

Portaria – No último dia 17 de janeiro, representantes de bandas e blocos carnavalescos de Manaus assinaram adesão à nova Portaria da SSP-AM, que estabelece as regras para a realização de eventos em vias públicas da cidade, e o Termo de Compromisso de Realização de Eventos, uma espécie de ‘ajustamento de conduta’ para o setor. Entre as normativas, a nova portaria estabelece que bandas, blocos e eventos carnavalescos e pré-carnavalescos, ocorridos em vias e locais públicos de Manaus, devem acontecer até o limite de 23h, além de proibir a venda de churrascos em espetos e bebidas alcoólicas ou não em garrafas de vidro.

 

 Polícia Militar – Durante o período do Carnaval, que compreende eventos entre os dias 3 e 13 de fevereiro, a Polícia Militar do Amazonas utilizará um efetivo de mais de quatro mil servidores. Aproximadamente 3700 policiais militares atuarão a pé nos eventos como Escolas de Sampa, Carnaboi, Banda da Bica, Banda da Difusora, Galo de Manaus, Educandos e outras bandas espalhadas pela capital. Ainda durante esses dias, quase 400 PMs atuarão motorizados.

 

Detran – Com a campanha de Carnaval, “Não deixe o álcool mudar o ritmo do seu Carnaval – Brinque com alegria, não brinque com a vida”, 120 servidores do  Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM) foram mobilizados para trabalhar nas fiscalizações da operação Lei Seca e de educação de trânsito, que tem como foco evitar casos de embriaguez, excesso de velocidade e direção perigosa.

As blitze serão realizadas durante e no encerramento das principais bandas de Carnaval de rua, bem como nas proximidades de casas de show e desfile no Sambódromo. Do dia 1 a 15 de fevereiro, também estará disponível o Disk-Pileque, um serviço de carona para motoristas embriagados gratuito, parceria entre o Detran-AM e a Associação e Sindicato dos Condutores de Ambulância do Amazonas. Os socorristas receberão as chamadas, por meio do telefone (92) 99146-9863.

 

Corpo de Bombeiros – No período de carnaval, o Corpo de Bombeiros atuará na fiscalização de bandas e locais, prevenção e combate a incêndio, bem como no atendimento pré-hospitalar. Nos dias 9, 10 e 12, além de estar distribuído em seus diversos postos operacionais da capital, a corporação atuará com 90 bombeiros na região do Sambódromo, mais dois caminhões de combate a incêndio e uma unidade de resgate, destinados a atender unicamente as ocorrências dentro dessa área.

Neste período também estará realizando fiscalizações nas bandas comunitárias, com um total de 20 bombeiros, que atuarão junto com os demais órgãos da Secretaria de Segurança Pública. Além disso, também atuará com 15 bombeiros, uma viatura de combate a incêndio e uma unidade de resgate na prevenção do evento da Banda da Difusora e Banda da Bica, que ocorrem no Centro de Manaus.

Polícia Civil – A Polícia Civil do Amazonas reforçará as unidades e Centrais de Flagrante durante o período do Carnaval. No total, cerca 800 policiais darão apoio nas bases e operações itinerantes que estão previstas para o período. Já a Delegacia Móvel permanece posicionada na avenida Eduardo Ribeiro, área central da cidade, onde estão sendo realizados registros de Boletins de Ocorrência (BOs) e Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCOs) para crimes de menor potencial ofensivo, como lesão corporal simples, desacato, ameaça e injúria, por exemplo, que não têm relação com prisão em flagrante delito.

Participam das operações onde há realização de bandas e blocos carnavalescos, policiais lotados nos Departamentos de Investigação sobre Narcóticos (Denarc) e de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera),  Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (DEPCA), Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher (DECCM), Delegacia Especializada em Crimes contra o Meio Ambiente e Urbanismo (Dema).

Espaços Culturais da SEC recebem mais de dois mil visitantes nas primeiras semanas do ano

Contando com programação de férias e com novos horários de funcionamento, os espaços registraram o crescimento do número de visitantes amazonenses, que corresponde a 46% do total de visitas

Até o dia 15 de janeiro, 2.651 pessoas visitaram os Centros Culturais Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro, dos Povos da Amazônia, Usina Chaminé e o Palacete Provincial. Fotos: Divulgação
Até o dia 15 de janeiro, 2.651 pessoas visitaram os Centros Culturais Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro, dos Povos da Amazônia, Usina Chaminé e o Palacete Provincial. Fotos: Divulgação
Até o dia 15 de janeiro, 2.651 pessoas visitaram os Centros Culturais Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro, dos Povos da Amazônia, Usina Chaminé e o Palacete Provincial. Fotos: Divulgação
Até o dia 15 de janeiro, 2.651 pessoas visitaram os Centros Culturais Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro, dos Povos da Amazônia, Usina Chaminé e o Palacete Provincial. Fotos: Divulgação
Até o dia 15 de janeiro, 2.651 pessoas visitaram os Centros Culturais Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro, dos Povos da Amazônia, Usina Chaminé e o Palacete Provincial. Fotos: Divulgação

 

Karla Mendes

O número de visitantes em espaços culturais administrados pela Secretaria de Estado de Cultura (SEC) cresceu durante as duas primeiras semanas do mês de janeiro, de acordo com dados do Departamento de Centros Culturais do órgão. Segundo os registros, até o dia 15 de janeiro, 2.651 pessoas visitaram o Centro Cultural dos Povos da Amazônia, o Centro Cultural Palácio da Justiça, o Centro Cultural Palácio Rio Negro, o Centro Cultural Usina Chaminé e o Palacete Provincial, que estão com programação especial de férias.

Contando com visitas teatralizadas, palestras e exposições, os espaços têm atraído cada vez mais a atenção dos amazonenses. Para o diretor de Centros Culturais, Taciano Soares, os resultados são positivos. “A gente ficou muito feliz em ver que o número de visitantes nos Centros Culturais aumentou bastante. Ano passado, os espaços estavam fechados até 15 de abril. Nesse momento mais recente, esta é a primeira vez que eles estão abertos no período de férias”, comenta.

Taciano considera o fato dos locais estarem abertos todos os dias um fator influenciador para o crescimento de visitantes. “Os dias de visitação e os horários em que estão abertos tem a ver com esse crescimento. Nós, juntamente com o Teatro Amazonas e os museus, abrimos todos os dias, e essa mudança contribuiu muito para o sucesso de visitações. Agora as pessoas sabem que elas podem contar com esses espaços todos os dias”.

De acordo com o Departamento de Centros Culturais da SEC, nos primeiros 15 dias de 2018, de 2.651 visitantes presentes em cinco espaços do órgão, 1.223 são amazonenses, o que corresponde a 46% do total de visitas.

Para Taciano, a expectativa é que o número de visitantes cresça até o final do mês de janeiro. “A gente espera que até o fim do mês os números não só se mantenham mais aumente porque nós teremos ainda apresentações remanescentes em todos esses Centros Culturais, o que poderá interessar ainda mais ao público em geral”.

Novos horários – Os Centros Culturais Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Usina Chaminé, no Centro de Manaus, funcionam com atendimento aos visitantes das 13h às 17h, de segunda-feira a sábado, e das 11h às 15h, aos domingos. Já Centro Cultural dos Povos da Amazônia, no Distrito Industrial, mantém o atendimento para visitantes das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

Palacete Provincial – O Palacete Provincial – que abriga a Pinacoteca do Estado e os museus de Numismática, Tiradentes, da Imagem e do Som (Misam) e de Arqueologia – funciona de domingo a domingo de 9h até 14h.

Teatro Amazonas – Depois da mudança de horários, o Teatro Amazonas também registrou uma movimentação intensa. No último domingo (14), o lugar recebeu 390 visitantes e na segunda-feira (15), 218.

O Teatro Amazonas agora funciona aos domingos e segundas-feiras, de 9h às 14h; e de terça-feira a sábado, de 9h às 17h.

Férias com Cultura  Nas redes sociais, a campanha “Férias com Cultura” reúne fotos de visitantes que estiveram nos espaços durante o período de férias. O internauta pode conhecer também os centros culturais, teatros, museus e diversas opções de locais para visitar nas férias pelos stories do Instagram (@secretariaculturaamazonas) e Facebook (facebook.com/culturadoamazonas) da Secretaria de Estado de Cultura.

Centros culturais da SEC têm novo horário de funcionamento a partir deste mês

Espaços passarão a funcionar das 13h às 21h, com atendimento aos visitantes das 13h às 17h; mudança abrange centros culturais Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Usina Chaminé

A mudança abrange os Centros Culturais Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Usina Chaminé, no Centro de Manaus. Fotos: Arquivo SEC
A mudança abrange os Centros Culturais Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Usina Chaminé, no Centro de Manaus. Fotos: Arquivo SEC
A mudança abrange os Centros Culturais Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Usina Chaminé, no Centro de Manaus. Fotos: Arquivo SEC

Jony Clay Borges

A partir deste mês, os centros culturais mantidos pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura (SEC), passam a receber visitantes em novo horário. O atendimento voltado aos turistas, anteriormente realizado de terça a sábado, das 9h às 13h, acontece agora das 13h às 17h, de segunda-feira a sábado, e das 11h às 15h, aos domingos.

A mudança abrange os Centros Culturais Palácio Rio Negro, Palácio da Justiça e Usina Chaminé, no Centro de Manaus, que passarão a funcionar efetivamente das 13h às 21h. O Centro Cultural dos Povos da Amazônia, no Distrito Industrial, mantém o atendimento para visitantes das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira.

A mudança no horário visa permitir a inclusão, no período de funcionamento dos locais para o público, das ações e atividades promovidas nos centros culturais por meio do Programa Espaço Aberto. Lançado no final de outubro passado, o programa de ocupação da SEC vem abrindo espaço para shows musicais, concertos, recitais, espetáculos de dança e teatro, apresentações circenses, lançamentos de livros, ensaios e outras atividades artísticas e culturais nos centros administrados pela Secretaria.

“Esperamos que a ocupação tenha uma programação mais regular a partir de 2018. Se hoje temos uma ação acontecendo uma ou duas noites por semana num local, a ideia é que venhamos a ter atividades quatro noites por semana. Queremos que os centros culturais tenham uma vida ativa”, assinala Taciano Soares, diretor de Centros Culturais da SEC. “A proposta é estimular essas atividades, para que as pessoas voltem a frequentar os centros culturais, e saibam que ali terão opções de arte e cultura”.

Soares reitera a ocupação dos centros culturais como forma de permitir a ocupação dos espaços tanto pela classe artística quanto pelo público, e cita como exemplo o Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro. “Hoje o CCBB é um espaço enorme, mas há 30 anos não era assim, começou devagarinho. E por isso acreditamos em nossos centros culturais, que são menores, mas têm um potencial incrível para escoar a produção artística e cultural, ao lado dos teatros de difusão”, comenta.

Atendimento ao turista – A mudança, de acordo com Soares, está sendo comunicada às agências de turismo para adaptação das atividades realizadas junto aos visitantes de fora de Manaus ao novo horário. “Os centros culturais têm uma condição especial, de serem espaços artísticos e também turísticos. Recebemos muitos turistas espontâneos e também aqueles trazidos por agências”, diz.

O diretor aponta que a mudança no horário dos centros culturais terá inicialmente caráter experimental. “Estamos investindo e dispostos a observar como serão os resultados. É uma proposta um pouco ousada, pois de fato modificamos um horário que já era de costume”, explica.

“Por outro lado, não era costume ter artistas dentro dos espaços, portanto são duas medidas para atualizar o que é um centro cultural: a coabitação do turístico, da memória, com o presente, que é a produção artística do Estado”.